sexta-feira, 1 de julho de 2011

Poeira


A poeira vai-nos queimando
a voz; e fugindo
o gosto de levar à boca
a luz despida.
O que falta aqui é um regaço
na água; um ardor na cinza.

Eugénio de Andrade, O Peso da Sombra