sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Protesto

São como flores fanadas os fúteis alfarrábios.
estagnados e doentios como a água adormecida,
do senhor dom artista que não quis colar os lãbios
contra os seios da vida.

O homem que vende livros na velha padiola
expõe o romance da sua vida nessa espécie de montra
e grita contra os romances onde a vida estiola
em maciezas de lontra.

E em todos os cantos e recantos da rua
gritam contra os versos mornos, versos mansos, versos falsos,
as mulheres bem vestidas que ganham a vida nuas
e os garotos descalços.

Sidónio Muralha, Companheira dos Homens