quarta-feira, 23 de maio de 2012

Agonia....


Canto a pedir socorro.
A noite que atravesso é negra, e tenho medo.
Mas nem sequer o eco 
Da minha voz
Vem ter comigo
E dar-me confiança.
Cala-se, ou foge  noutra direcção,
Ansioso, ele próprio, de encontrar abrigo
E segurança.
 E o canto vai crescendo de aflicção
À medida que aumenta a escuridão
E o meu terror avança.

Miguel Torga, in Diário X