quinta-feira, 31 de maio de 2012

Da Água...


Não há senão um leito rente à terra
a luz vacilante de pássaros
os olhos atravessados pelos juncos
o lenço pequeno e íntimo
que levamos à boca para não esquecer
como era quente e masculino o coração da água.

Eugénio de Andrade, Véspera da Água