quinta-feira, 3 de maio de 2012

"O POETA"


Era nas suas mãos que terminavam
as coisas infinitas e finitas.
Por isso as suas mãos eram abismos
aonde se perdia o Pensamento.

Sebastião da Gama, Cabo da Boa Esperança