sexta-feira, 19 de abril de 2013

«Assim às vezes»...


A manhã às vezes fica muito longe

Perco-me então por caminhos de água

Na língua que te despe o sol
respira rente à relva

Eugénio de Andrade, Véspera da Água