quinta-feira, 9 de maio de 2013

Lágrima...


Dos olhos me cais,
redonda formosura.
Quase fruto ou lua, 
cais desamparada.
Regressas à água
mais pura do dia,
obscuro alimento
de altas açucenas.
Breve arquitectura
da melancolia.
lágrima, apenas.

Eugénio de Andrade