Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Manhã de todos...


Manhã de todos---
Ah! mas inútil manhã

Vai costureirinha presa de uma flor,
que quiseras deter-te no jardim.
São horas.
Deixa, operário que sabes soletrar,
o jornal para a noite, quando voltes
de ter perdido esta manhã de todos.
Bem bom! Bem bom!, 
Mas vai, são horas.

Manhã de todos,
se o Sol nasceu foi para que tu fosses. 
Por ti se libertaram
estas flores.

Ah!, porque não é Domingo,
manhã linda, mais linda que um namoro?

Porque vens quando calha, 
porque não vens apenas ao Domingo, 
para todos te levarem pelo braço?

Sebastião da gama - Itinerário Paralelo (1967). Ed. póstuma