Ocorreu um erro neste dispositivo

sábado, 25 de janeiro de 2014

Ser honesto...


Essencial é: ser sempre honesto consigo mesmo.
 E evitar proclamar diante de terceiros honestidade, pois esta não é privilégio, mas obrigação moral e social.

Ao começar por ser-se honesto consigo, forçosamente o seremos com outros.
 Honestidade só para fora é hipocrisia, falsidade, mentira. Em suma: desonestidade.
Verdadeiramente honesto é todo aquele para quem a honestidade é valor intrínseco de vida e não apenas aparência.
Por que há pessoas honestas que o são de verdade e só é de lamentar quem só o queira parecer,
a começar pelos políticos encartados ou pelos comerciantes extremamente bem sucedidos. Entre outros e apenas como exemplo.
Quanto mais se dilui a responsabilidade directa do indivíduo numa qualquer massa anónima de múltiplos interesses, mais este valor  - o da honestidade - se perde.
E o tecido social ressente-se da perda desse valor que vale mais que o ouro puro e é cada vez mais difícil de encontrar.