Ocorreu um erro neste dispositivo

sábado, 5 de abril de 2014

O poema

A tarde cai,
silenciosa,
morosa...


Na alma do poeta,
o poema,

estranha rosa
rubra e preta,


abre...
Afinal,
escrever um poema
é fixar uma pena,
sentindo estoirar 
o calabre
do coração,
nostálgico do éden...


- Vá, poeta,
deixa o coração sangrar!

Para quê negar
a esmola que te pedem?

Saul Dias,(1902), Obra Poética