segunda-feira, 19 de outubro de 2015

É o Outono...


É o Outono doente que começa
  Cada folha doente que tem pressa
                                                         De morrer. 
Madura e fatigada, a natureza, 
Roída por não sei que súbita incerteza,
Até nos frutos quer apodrecer.

E há um desalento igual dentro de mim.
Uma renúncia assim 
Calada e conformada.
Perdi o gosto verde de cantar,
A emoção vem à tona e degenera,
Infecunda, a negar
As muitas flores que dá na Primavera.

Miguel Torga, Diário XIV, 1984