Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Aroma suave...


Eu digo, quando assoma
O astro criador;
Deus me fizesse aroma
De alguma pobre flor!

E digo, quando passa
Uma ave pelo ar: 
Deus me fizesse a graça
De asas para voar!


Aroma, da janela 
Me evaporava eu,
Me respirava ela
E me elevava ao céu!

E que, se eu fosse uma ave,
Me havia de privar
A mim da luz suave
Daquele seu olhar?

                                                                                                             João de Deus, Campo de Flores