quinta-feira, 17 de abril de 2014

Coisa natural...



[...]

A morte é natural na natureza. Mas
nós somos os que nega a natureza.Somos
esse negar da espécie, esse negar do que
nos liga ainda ao Sol, à terra, às águas. 
Para emergir nascemos. Contra tudo e além
de quanto seja o ser-se sempre o mesmo
que nasce e morre, nasce e morre, acaba 
como uma espécie extinta de outras eras.
Para emergirmos livres foi que a morte 
nos deu um medo que é nosso destino. 
Tudo se fez para escapar-lhe, tudo 
se imaginou para iludi-la, tudo 
até coragem, desapego, amor, 
para que a morte fosse natural.

[...]

Jorge de Sena in Metamorfoses