quarta-feira, 8 de julho de 2009

Alegria que chora...



Tristeza que ri...

Há diversas maneiras de sentir.
A vida é que o afirma dia a dia.
Há uns que encaram a tisteza a rir.
Outros que choram mesmo na alegria.

Uns sentem a dor muda, grande, fria.
Outros choram as penas a sorrir...
O que um sorriso, às vezes, nos diria!
O que esconde uma lágrima ao cair!

A alegria é difícil de ocultar.
Gosta de luz, de sol e de cantar
e quando assim não é já se não sente.

Não se esconde. Por mim, logo que a veja,
logo que a sinta, Deus! Sinto desejo
de a dizer pela rua - a toda a gente!

V. Vitorino, Namorados