sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Aceitação


Hora sossegada
de olhar estas flores...
Não lhes peço nada.
Basta a maravilha
de as estar olhando.

Quanto lhes pedisse
não seria mais
do que me vão dando
sem lhes pedir nada.

Flores que me dão
quanto lhes não peço,
quanto pediria
se pedir quisesse...

Hora sossegada...
Flores que mentiria
não importa o nome
que lhes fosse dado...

Fosse a vida a hora
de as estar olhando
e elas serem tudo
quanto me é preciso...

Sebastião da Gama, Cabo da Boa Esperança