quarta-feira, 13 de julho de 2011

Herança do familiar de estrelas


Atrás de si ficam as palavras
Mais belas que o mundo
Ninguém ousa contemplar-se nelas

Esperam nas dobras do tempo
Maiores que os homens
Quem poderá dizê-las?

Estendidas repousam na terra sem fala
Pesam mais que os ossos da vida
Não foi fácil à morte
Levá-las por dote
Ninguém pode erguê-las
Ninguém derrubá-las

Só as estrelas cadentes
À sua sombra procuram abrigo

Eugénio de Andrade, Trocar de Rosa