quinta-feira, 25 de junho de 2009

O segredo da Busca


O segredo da Busca é que não se acha.
Eternos mundos infinitamente,
Uns dentro de outros, sem cessar decorrem
Inúteis; Sóis, Deuses, Deus dos Deuses
Neles intercalados e perdidos
Nem a nós encontramos no infinito.
Tudo é sempre diverso e sempre adiante
De [Deus] e Deuses: essa, a luz incerta
Da suprema verdade.

Fernando Pessoa, Obra Poética - Poemas Dramáticos - Primeiro Fausto - Primeiro Tema