terça-feira, 8 de setembro de 2009

Capricho


Capricho

E veio um violino. E tocou
Um Capricho qualquer. Talvez o teu...
- Paganini na noite que passou

Foi esse teu Capricho que nasceu.

E pela noite dentro lá tocou
Um Capricho qualquer - talvez o teu -
O violino que veio e que chorou
E fez chorar estrelas pelo céu.

Depois... depois as notas se calaram
E as janelas quietas se fecharam

Com donzelas que o tempo adormeceu.

Mas em mim ficou sempre um violino
A tocar pela noite o meu destino
Num Capricho qualquer! Talvez o teu.

Jorge Vila