sábado, 4 de junho de 2011

«Lasso, triste...»


Lasso, triste, venho
do silêncio em mim.
Que escuro o caminho!
Que longe do fim!

Indeciso ainda
como um cristal baço;
mas que fome existe
já no meu cansaço!

Olho-me por dentro:
que frio, sozinho!
Aqueço-me ao fogo
do comum destino.

João José Cochofel, Os Dias Íntimos