sábado, 1 de outubro de 2011

Matinalmente

Que ronda matinal,
que luz tão jovem
treme e se demora
nos ramos altos,
e já distante
nem lembra que poisou?

Eugénio de Andrade, Mar de Setembro