segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Mulher, mãe e amante



Mulher é sempre aquela que redime
Fraquezas que uma falta em si contém.
Que, sendo boa esposa, é boa mãe
E sabe ser na dor grande e sublime.

É a que no silêncio tudo exprime...
E, digna, sofre e cala o que convém...
Que avante passa à afronta e ao desdém,
Guardando num segredo o que a oprime.

Farrapo muitas vezes que se prende
A uma afeição livre e sacrossanta,
Nem sempre o mundo mau a compreende.

É mártir, ou é santa, ou é heróica:
- Heróica no dever que a torna santa,
E santa no sofrer que a torna heróica!

Maria Joana Couto