terça-feira, 10 de novembro de 2009

Rosa desditosa



- Tive centos e centos de irmãs mais belas,
Pois neste doce Abril fomos cardume,
Mas eu, p'la rara cor e p'lo perfume,
Sem vaidade, era a mais formosa delas.

Brancas, róseas, vermelhas e amarelas,
Umas feitas de neve, outras de lume,
Colhidas todas foram. Sem queixume,
Desejei-lhes benéficas estrelas.

A mim, ninguém me quis! E, folha a folha,
Já me desflora o zéfiro traiçoeiro,
A mim, virgem, que amar quisera ainda...

Anda ceguinho o Amor na sua escolha.
E abrindo os braços à que vê primeiro
Muitas vezes não vê a que é mais linda.

Eugénio de Castro