sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Loucura





Não é tempo de rosas. É inverno.
E sem ter dia
A rosa azul dum sentimento
Florescia.
Cálida, terna, doce, nem dormia.
Olhá-la, senti-la... morrer lento
Ou revivescer, numa estranha agonia.
Já não é flor, agora,
Mas borboleta de cor
Exangue de magia
Que ao bem querer cedeu.
Voando, doidamente, reinventou o inferno
...esquecida,no entanto,que se há loucura,
A maior louca, aqui...
... sou só - e apenas - eu.

Sophia Guiomar