sábado, 27 de fevereiro de 2010

Bruma no horizonte




Horas. Nove...Dez...
Que importa?
Veio o tempo
Bater sempre à minha porta
Sem que lhe desse permissão
De entrar.

Ficou.
E a mágoa que deixou
Conta-se nos minutos
Que encontrou
No tecer da vida
Por passar.

Sophia Guiomar - Poemetos [10-09-2005}