segunda-feira, 27 de julho de 2009

Dorme,coração

Dorme,coração...

Há no firmamento
Um frio lunar.
Um vento nevoento
Vem de ver o mar.

Quase maresia
A hora interroga,
E uma angústia fria
Indistinta voga.

Não sei o que faça,
Não sei o que penso,
O frio não passa
E o tédio é imenso

Não tenho sentido.
Alma ou intenção...
Estou no meu olvido...
Dorme, coração...

Fernando Pessoa
[11-03-1917]