sábado, 15 de agosto de 2009

Apenas versos



Apenas versos

Lindos, tão lindos os versos que tefiz
Mesmo quando espelham pretensa indiferença
No ignorar os dias e escutar o pensamento
No correr contra o tempo e contra o vento
E expulsar maldades que não quiz
Inverdadades que contemplo
Ao esbater-se no horizonte o canto
Sereia eterna do vasto desencanto
De saudades vãs...
Secou-se tudo em mim
Nesse desespero inerme e rouco
Preso, fundo, bem fundo,
Solitário e louco
Tecido na suave claridade das manhãs.

[16/04/2009)