sábado, 9 de janeiro de 2010

Envelhecer



Achas-me velha? Seja. Há quase um ano
'inda me achavas nova. Estou mudada?
Sucede a noite ao dia, à madrugada...
Quanta certeza nasce dum engano!

Concorda, meu amor. És desumano.
Tenho sofrido tanto! Estou cansada.
Cada ruga é uma lágrima chorada:
Cada cabelo branco, um desengano.

Envelhecer por ti é o meu sofrer.
Tu nunca me soubeste compreender
e nada o meu amor já te merece!

Que outros me achassem velha....
... era ventura!
Mas fosses tu a doce criatura,
- a única - que nunca mo dissesses1

Virgínia Vitorino, Namorados